segunda-feira, 25 de setembro de 2017

O Amanhã - Thiago Brandão

No single de hoje celebramos mais um lançamento exclusivo: "O Amanhã" é uma das faixas do disco "Perdido em Contos e Sonhos" que a banda Andaluz lança depois de hoje com show no Teatro SESI, em Salvador. O autor e vocalista do grupo Thiago Brandão conta do significado pessoal que a música ganhou em sua vida: "Não tenho carro, ando bastante na rua e lá eu sinto de perto a insegurança que se espalha pela cidade de Salvador. 'O Amanhã' saiu como um grito de socorro, me fez criar coragem para seguir enfrentando as esquinas", explica.
Além de amuleto pessoal, "O Amanhã" é também a realização de um antigo sonho musical de Thiago: convidar uma intérprete para um dueto em disco. A cantora escolhida para compartilhar das inseguranças narradas na letra foi Gabriela Ferreira. "A música traz dois personagens distantes que se encontram no refrão e ali eles se ajudam a vencer a escuridão das dúvidas. Fiquei muito feliz com a participação de Gabriela e já estou rascunhando novas canções para ela interpretar", revela Thiago.


No arranjo musical de "O Amanhã" destaque para o timbre reconfortante do Mellotron - teclado eletromecânico popularizado pelos Beatles na década de 60 do século XX através da gravação de "Strawberry Fields Forever". "O Mellotron foi um ponto de partida do arranjo e não seria gravado não fosse o conhecimento de Jorge Solovera com quem divido a produção musical do disco. Nos unimos em referências comuns, a ponto de ele tocar de tudo um pouco no álbum: guitarra, ukulele, violão, teclado e até percussão", revela Thiago. 

domingo, 24 de setembro de 2017

Só Se For com Você - Matheus Nasce


Só Se For Com Você é uma composição de Matheus Nasce. O músico conta que a ideia da canção surgiu enquanto assistia ao filme "Caramuru - A Invenção do Brasil", atendendo a lista de obras exigidas pela seleção do vestibular que iria prestar. "Tem uma cena em que Caramuru vira para Paraguaçu e diz: 'Eu quero te amar para sempre'. E ela de pronto responde: 'Eu não quero te amar para sempre não, eu quero te amar é agora'. Foi um primeiro momento que me chamou a atenção, mas ali eu deixei passar: o violão ficou só me olhando".

O filme seguiu e a índia Paraguaçu foi então a Portugal. Ao ser apresentada a expressão "corredor", ela a interpretou ao pé da letra e começou a correr no salão da corte. Mais uma passagem que despertou a antena do compositor: "Foi ali que eu parei o filme e comecei a escrever. Juntei as duas passagens e escrevi o primeiro verso, foi o ponto de partida da música", explica Matheus. 
Só Se For Com Você foi lançada como prévia do EP Brasil com Z, trabalho de estreia de Matheus Nasce. A faixa transita entre o reggae, o samba-reggae e o rock como atmosferas por onde passeia a interpretação romântica do cantor. Quanto ao vestibular, o filme não chegou a cair na prova, mas Matheus foi aprovado e hoje divide a carreira musical com a formação em Direito. 

sábado, 23 de setembro de 2017

Reggae da Independência - Jorge Alfredo/Chico Evangelista


O cortejo da festa do 2 de julho, realizado anualmente na cidade de Salvador,celebra a vitória da população baiana contra as tropas portuguesas que ocupavam a cidade em 1823. A data é considerada um marco na independência do Brasil, tendo reunido um exército de cidadãos comuns vindos de diversas cidades do Estado. 
A faixa aparece no único disco lançado pela dupla: Bahia Jamaica (1980) - uma pérola inaugural do reggae brasileiro.A letra recria a atmosfera viva e intensa da festa do 2 de julho, evocando a sua mística de contágio popular.




sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Modo Hard - Circo de Marvin

Modo Hard é uma canção de Bruno Souri gravada pela banda Circo de Marvin. O vocalista conta que escreveu a letra refletindo sobre como encarar as dificuldades da vida a partir da linguagem contemporânea dos games. "Os obstáculos não são o problema em si, eles são os desafios que devemos superar. Lembro que ela foi escrita justamente no dia em que a banda foi a uma casa de shows em Salvador pedir para abrir um evento e fomos menosprezados pelo gerente.Aquela recusa passou a fazer parte da nossa historia e está lá estampada nos primeiros versos da canção", explica Bruno.
Extrapolando a dimensão auditiva, Modo Hard ganhou clipe em que os músicos vivenciam novamente a cena de recusa - só que dessa vez diante de um gerente de gravadora. A película - dirigida por Glauco Neves - foi vencedora do Prêmio Caymmi 2017 na categoria videoclipe e teve sua linguagem visual toda inspirada no game Grand Theft Auto (GTA), fazendo uma reconstrução libertária dos artistas dentro da realidade virtual do jogo.
Modo Hard dá nome ao primeiro disco da banda Circo de Marvin que foi lançado em 2015. Na gravação da faixa destaque para o inventivo arranjo de vozes que emula a fala de personagens de videogames. "O curioso é que essas vozes surgiram antes mesmo da gente identificar que a relação com os games seria o tema da letra. Em nossas composições costumamos improvisar no estúdio em cima do instrumental. Quando alguma ideia interessante acontece a gente grava e daí é que partimos para elaborar a letra em cima", revela Bruno. 


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Debaixo de Chuva - Carlos Nery/Teago Oliveira

Debaixo de Chuva é uma parceria de Carlos Nery e Teago Oliveira gravada pela banda Maglore no disco Vamos Pra Rua. Nery lembra que a melodia inicial surgiu dentro do carro em Aparecida durante uma turnê da banda pelo interior paulista. "A letra desse trecho mantra foi surgindo aos poucos nos devaneios da vida em São Paulo, cidade da garoa", explica o ex-baixista da Maglore.  
A canção seria lembrada no retiro da banda no distrito de Jauá (Bahia), durante a pré-produção do disco Vamos Pra Rua - foi quando ganhou a segunda parte da letra. "Ela trata de uma situação comum de viagens da mente enquanto estamos distraídos em meio ao transporte público. No caso, tudo acontece na cabeça do eu lírico, ansioso a espera do trem", explica Teago. 
Uma curiosidade é que a casa de Jauá onde "Debaixo de Chuva" foi finalizada hoje encontra-se disponível para o ensaio/gravação de outras bandas através da plataforma Airbnb

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O Vento - Pedro Pondé/Ênio Nogueira


O Vento é uma composição escrita em parceria por Pedro Pondé e Ênio Nogueira. Pedro conta que a canção teve como ponto de partida uma linha de baixo acompanhada de percussão que gravou no computador de casa. "Em cima dessa base fui construindo a letra. A inspiração pros versos me veio de maneira intuitiva, refletindo experiências vividas com o chá Ayahuasca nos últimos 20 anos", revela o músico. (O cantor ressalta que as sessões de que participou foram sempre conduzidas por pessoas que detém conhecimento e experiência sobre o uso apropriado da bebida)
Na jornada de autoconhecimento promovida pelo chá enteógeno, Pedro desvendou em versos algumas das armadilhas trazidas pelo hábito humano de julgar o outro: "O julgamento é um cárcere: é esse jogo em que as pessoas tentam diminuir as outras para parecerem maiores. Na música expresso o quão importante tem sido me colocar no lugar do outro, como uma forma inclusive de levar a vida nesses dias em que as pessoas tem se julgado tanto", explica Pondé. 
O Vento foi lançada no EP Licença (2017) - primeiro trabalho solo de Pedro Pondé em seus 25 anos de carreira na música e no teatro. A faixa conta com a produção de Ênio Nogueira e recebeu os cuidados de André T na mixagem e masterização.  
O cantor chegou à pré-produção acreditando que a música estava pronta, até receber um feedback do seu produtor e guitarrista."Ênio identificou que faltava uma crescente nela, uma parte mais forte. Ali mesmo sugeriu algo na guitarra, indicou o caminho da melodia. De um dia pro outro acordei no meio da noite e finalizei a letra", conta Pondé. Em mais uma demonstração de que os caminhos intuitivos da arte não cabem no controle do homem, a letra recebeu mais uma inesperada alteração: um erro do cantor na gravação acabou como verso final.


terça-feira, 19 de setembro de 2017

Terra de Barro - Balaio

*colaboração de Rafael Flores , da Revista Gambiarra 


Apenas o violão nas mãos, uma voz rasgada/potente na garganta e uma mente afiada para letras fazem o Balaio. Não estamos falando de um cesto de palha e sim do cantor e compositor que lançou esta semana o single “Terra de Barro” nas plataformas digitais. 
Foto: Joab Mercês
Segundo o artista, a música é “um grito, um desabafo” como o de alguém que quer se libertar de algumas amarras. “É tirar onda com a cara das pessoas que impedem as nossas potencialidades na vida, é uma canção sobre o querer e não poder”, conta. 
                                                                         Foto: Joab Mercês
Inicialmente “Terra de Barro” - a primeira gravação em estúdio do projeto solo do artista - parece uma ode ao sertão, mas além disso guarda um pouco de metáforas e mensagens sobre a juventude. “As pessoas falam que a nossa juventude é morta, mas ela tá explodindo pelos cantos. São tantas maneiras de ser que estão surgindo, que quem é mais velho se choca.Na verdade todo mundo é terra de barro, todo mundo é fértil, mas tem gente que impede e insiste em se secar”, explica Balaio.